Catavento



O vento que sopra refresca a alma
Trazendo um cheiro de terra molhada
Ilumina o corpo que inteiro saltita
Piruetas, remexos, estrelas amigas

Meninos correndo, famílias em festa
É largo o abraço na casa modesta
O vento renova a fé e o sorriso
Pela doce presença do espírito amigo

Sinto meu corpo girar feito um catavento
Mistura de cores e dons, de jingas e canções
Quero ver o meu corpo pisar rastreando esse vento
Uma vela içada ao ar marcando esse tempo
(Carol Gualberto)

2 comentários:

Face a Face disse...

linda canção, bjs

TREVLE 22 disse...

Valeu!
gostei do blog espero que vcs gostem do meu!
trevle-22.blogspot.com
se vcs quiserem ser seguidores clique na página que está escrito: SEGUIDORES

Postar um comentário