Coloca-me no caminho do amor

daqui de dentro.



hoje há mais que sentimentos dentro de mim
há um movimento constante de que não sabe se movimentar
ele me faz subir e descer mesmo quando eu estou parada
me pergunto: o que virá depois
e ele me responde: aguarde.
e isso é tudo
e isso é tudo.

Mariana Magno

A trama da nossa rede simbólica



Sem tramas
Sem costuras 
Sem tecidos
Uns fracos...outros bem forte. 
Os fios que se completam 
Para formar uma rede
Nunca serão acabados,
Porque sempre haverá muitos pontos 
a serem reconstruídos. 

Nuvem


"O presente tão querido estava ali, ao alcance da alegria.
Os olhos lá no passado, não via."
Ana Jácomo

Cada Instante

Gente.........

Sexta-feira (17 de dezembro) e eu o meu mano - Diêgo Aquila na agência Matéria Prima de bobeira a tarde. Olha o que dá! rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs...

Cada Instante - música do Vencedores Por Cristo - VPC .

video

Lorena Foi Embora

Coragem de fugir é medo de ficar.

44 coisas que eu preciso fazer nessas férias




Definitivamente de férias. Não via a hora do meu semestre acabar. Sério mesmo, o 3º semestre foi loucura, loucura.

E comecei planejar algumas coisinhas pra fazer nas férias: ( A ordem não tem nada haver com prioridade). O que eu tô lembrando, eu coloco:

1. Aprender costurar;
2. Estudar Mkt Digital;
3. Fotografar até ficar vesga;
4. Aprender meia dúzia de palavras inglês;
5. Pintar (isso inclui o meu all star velhinho);
6. Voltar pra academia;  (já comecei)
7. Ir domir às 3 da manhã (ou, simplesmente, não dormir e trocar o dia pela noite)
8. Ficar de pijama o dia inteiro
9. Levar o cachorro para passear;
10. Comer porcariadas, guloseimas e doces;
11. Assistir a todas as temporadas daquela série;
12. Ver gente que você não vê há um tempão;
13. Ver gente que você nunca viu;
14. Fazer festinhas em casa
15. Sujar a cozinha (mas é melhor limpar, antes que sua mãe veja!)
16. Viajar
17. Tomar um porre de coca-cola
18. Pular corda
19. Fazer bolo de chocolate em dia de chuva
20. Dançar na chuva
21. Fazer rodinha de violão com os amigos
22. Dar "tchauzinho" para desconhecidos no trânsito
23. Alugar uma pilha de DVDs
24. Ler livros de mulherzinha (algo que não exija muito esforço mental)
25. Ler revistas de mulherzinha
26. Fazer coisas fúteis de mulherzinha (ah, vai dizer que não é bom?)
27. Rir como uma condenada
28. Sair maquiada às 3 da tarde
29. Jogar um colchão na sala e se jogar nele
30. Passar uns dias na casa daquela prima doida
31. Aprender a cozinhar algo que preste
32. Customizar umas roupas
33. Por crédito no celular
34. Decorar suas 172626738 músicas favoritas
35. Passar menos tempo na internet (Será que eu consigo?)
36. Assistir a desenhos animados
37. Sentir saudade da faculdade (claro que é bem no finzinho das férias, mas passa!)
38. Ir ao circo mais furreca que aparecer na cidade
39. Aparecer de surpresa na casa dos outros (mas cuidado para não ser inconveniente!)
40. Limpar o guarda-roupa
41. Dar banho no cachorro (e acabar tomando banho junto)
42. Dançar sozinha no quarto até dizer chega
43. Não ter nada para fazer
44. Ficar sem fazer NADA! (tem coisa melhor do que isso?)


Pitanga

Uma nova paixão musical!

Mallu Magalhães. As musiquinhas dessa moça tem inspirado os meus últimos dias.

Na verdade, na verdade, antes eu tinha um certo receio dela. Não sei...achava ela meio bobinha. E então, mudei de opinião. 

O nome do álbum é Pitanga. No sentido de beleza, raridade e qualidade, assim como a fruta, que o disco surge. São 12 faixas com mistura de bossa, samba, pop e rock com muitas experimentações. 


OBS: Todo o texto com cor de plano de fundo rosa, foi extraído do Blog da Rakky 


Na primeira canção, Mallu solta o verbo: “Nem vem tirar meu riso frouxo com algum conselho / Que hoje eu passei batom vermelho… / Eu tenho tido a alegria como dom / Em cada canto eu vejo o lado bom!”, declarando sua independência na nova fase. Cena é um sambinha com brincadeiras da cantora, com a base no violão. Sambinha Bom e Olha só, moreno são coisa de gente apaixonada. E ela está! Marcelo Camelo, o namorado-produtor-apoio e back vocal aparece sutilmente em trechos do CD, não só nas declarações musicais que não precisam citar nome pra se saber pra quem são, mais na cara mais brasileira que Mallu assumiu, a inserção de metais em algumas músicas, talvez uma herança dos Los Hermanos, talvez um toque de Camelo, e até nas referências musicais da cantora, que cada vez abandona mais o inglês para cantar em português.

Em Youhuhu, Mallu toca piano e canta suavemente, mesclando o português com o inglês como um medley bonitinho, que lembra, bem de leve, um dos primeiros sucessos da cantora, J1. Por que você faz assim comigo? é quase uma declaração de mágoa, um choro, mas tão belo que dói nos versinhos “Talvez eu seja pequena / Lhe cause tanto problema / Que já não lhe cabe me cuidar / Talvez eu deva ser forte / Pedir ao mar por mais sorte / E aprender a navegar”.

Para quebrar o clima, Baby I´m Sure lembra um pouco o clima despojado de Mallu nos dois primeiros discos, com assovios, palmas e sons improvizados, assim como Lonely. Uma surpresa é In The Morning, música digna de ser inserida numa caixinha de música, daquelas com bailarinas dançado.

Em Highly Sensitive, revemos a Mallu de músicas como Town of Rock´n´Roll e O Herói, o marginal. Ô, Ana é outro sambinha, esse com uma história de uma paixão que pode até ser em homenagem à irmã da cantora. Cais encerra o disco de forma melódica, mas decepciona por ser muito curta.

O álbum inteiro é desde o começo uma declaração de que a cantora que surgiu na Internet não é um sucesso passageiro e que tem talento de sobra para muitos e muitos álbuns. De cara limpa, sem medo e segura de si, Mallu está entre as melhores descobertas brasileiras e prova que veio pra ficar. E só os chatonildos de plantão ainda não viram isso.

Não dá pra dizer qual a minha preferida. Gosto mesmo é de todas. Vou deixar aqui pra vocês pelo menos uma delas e se gostar, embaixo do vídeo tem o link para download.





Para baixar, clique aqui!